Roca em Portugal

futuro-setor-construcao-thu.jpg

O Roca Lisboa Gallery, em colaboração com o Witts Institute, reuniu ontem diversos agentes da construção em Portugal, num debate subordinado ao tema “O Futuro do Setor da Construção Depois do Final do Período de Resgate”.

Nesta segunda sessão do evento Fast Forward da Construção, os oradores convidados abordaram diversas perspetivas do setor, nomeadamente a nível social, económico e industrial. Ricardo Batista, diretor do Jornal Construir, deu início aos trabalhos com uma visão mais ampla do mercado, as suas fragilidades e potencialidades.  

Tiago Mota Saraiva, arquiteto e sócio do Ateliermob, reforçou a importância da arquitetura social nos meios urbanos (sendo exemplo as intervenções do atelier nos projetos Bairro Prodac e Terras da Costa); Jorge Oliveira, diretor da Área de Feiras na AIP/FIL, refletiu sobre o impacto da presença das empresas nas feiras como forma de promover e revitalizar o setor (quer a nível nacional como internacional); e António Carias de Sousa, coordenador de Especialização de Direção e Gestão da Construção da Ordem dos Engenheiros, abordou essencialmente a questão económica, sublinhando que o setor está num ponto de viragem, sendo a reabilitação uma das alternativas sustentáveis ao crescimento.

Entre os participantes, estiveram presentes arquitetos, empresários, académicos e meios de comunicação especializados que, com o seu conhecimento nas mais variadas áreas, enriqueceram o debate final, gerando uma troca de ideias que podem reestruturar o setor.

Fernando Malvarez, responsável pelo Roca Lisboa Gallery, manifestou a sua "satisfação por voltar a receber este evento, num momento particularmente importante para o país após cumprido o programa de ajustamento a que Portugal esteve sujeito nos últimos três anos. É uma honra ter o Roca Lisboa Gallery como palco destas iniciativas”, concluiu.

O conceito Fast Forward consiste em juntar, num mesmo espaço, os diversos agentes do setor da construção (arquitetos, engenheiros, autarcas, jornalistas especializados, estudantes), proporcionando um debate aberto e interdisciplinar de onde após um conjunto de sessões se espera criar um documento que possa servir de manifesto para um setor tão afetado com a crise financeira dos últimos anos.

Ignasi Perez Arnal, um dos mentores desta iniciativa, partilhou com os presentes a evolução que o conceito tem sofrido em Espanha, onde conta com mais de 250 participantes, e assumiu a vontade de transladar esta dimensão ao mercado português.

“Depois do resgate”

O Roca Lisboa Gallery reúne especialistas da construção para debater futuro do setor “depois do resgate”